23 de dezembro de 2007

Natal

Voltei após uns dias de intenso labor académico, em que estive imersa em frequências, notas e muito "stress", sem tempo para o básico, como sentar-me em frente ao PC para escrever um pouquinho.
A verdade é que acho que estes últimos dias queimaram os poucos neurónios que funcionavam, pelo que a inspiração também se desvaneceu.
Mas como esta época não se presta a grandes assuntos que não se reconduzam ao Natal, também não há grande problema, fale-se então do Natal.
Do Natal já muito ficou dito, por muita gente. Mas no fundo, o Natal assinala o nascimento de Jesus e é por isso que 2000 e tal anos depois andamos todos vestidos de vermelho e de barbas brancas, atarefados a gastar dezenas de euros por dia e a passar o tempo nas filas das caixas das lojas...
Espera, esta frase não faz sentido... Porque a causa não deveria levar a este efeito...
Pois é, que este Natal seja tempo de repensarmos quais os valores que devemos guardar no Natal, mesmo para aqueles que não são Cristãos e que se revêem nesta quadra familiar e de festa, e que a oferta de presentes possa ser um sinal de lembrança e partilha e que o Pai Natal possa ser o velhinho bondoso que nos lembra a necessidade de sermos bons e nos portarmos bem...
Feliz Natal para todos!!!

2 comentários:

Alexandra disse...

Feliz Natal tb para ti!!!

santoespirito disse...

O Natal é a única festividade religiosa que saltou as fronteiras dos credos e que está presente, com a sua universal mensagem de paz, familia e fraternidade, na grande maioria dos nossos corações.

Como uma vez disse Krusty, the Clow: “So, have a merry Christmas, a happy Hanukkah, a kwaazy Kwanza, a tip-top Tet and a solemn, dignified, Ramadan. And now a word from My god, our sponsors!”