12 de junho de 2008

Um, o ou em silêncio...

Por vezes temos um silêncio.
Por vezes estamos em silêncio.
Por vezes vivemos o silêncio.

Um silêncio embarassador numa sala agitada...
O silêncio calmo dum passeio campestre...
Um silêncio armado dum olhar fulminante...
O silêncio gelado no final de uma conversa acesa...

Com um silêncio grito as minhas palavras de guerra, abafo os meus medos inexplicáveis, murmuro os meus desejos infantis e segredo os meus sentimentos mais puros.

Com o silêncio, vivo o melhor e o pior do mundo e das pessoas. Porque a ausência de conversa e a ausência de ruído espelham tanto um diálogo profundo, sublime e íntimo entre duas almas (a minha, a tua ou a da Mãe-Natureza) como um monólogo surdo-mudo em que se grita o que não se tem coragem para dizer, em que se esconde o que não há coragem para viver.

Em silêncio interrogo-me sobre o silêncio em que vivo.
Porque há silêncios e silêncios...

2 comentários:

nadia disse...

Toda a razão: "Porque há silêncios e silêncios..."
*

santoespírito disse...

O silêncio é a melhor banda sonora da vida