7 de março de 2009

Saudade

Porque há saudades incuráveis, saudades de sítios, de cheiros, de sensações, de pessoas, de sons.
Saudades que ardem e que esperamos que acalmem e que se avivam a cada segundo, a cada canção, a cada pensamento.
Porque nasci com este gene tão tuga, tão fado, da saudade?
Saudade não que tudo volte, mas saudade por saudade, saudade porque foi feliz. Simplesmente uma nostalgia mágica...
Aquela, a saudade no verdadeiro sentido fadista do termo...

1 comentário:

nadia disse...

Fado e saudade... o bom gosto português no bom sentido do ser, nós, em cada momento, passado ou presente... estou aqui!