14 de fevereiro de 2008

Há sete dias escrevi aqui o meu último post. Durante este período de descanso procurei estruturar um post dedicado ao Dia dos Namorados, e aproveitando o pretexto escreveria sobre o Amor.
Tentativa frustrada. Não consegui escrever duas linhas seguidas que pudessem alguma vez ser publicadas aqui.
Escrevi sem sentido, escrevi torto. As palavras não eram racionais, saíam desarticuladas numa amálgama sem ordem. Pensei, estudei, mas nada.
Decidi que diria apenas isto: o modo como procurei contar-vos o amor foi errado, porque o amor não pode ser com verdade posto em palavras sem perdermos alguma parte do todo!
Portanto, desisti, deixo ao vosso critério o conteúdo deste post.

2 comentários:

santoespirito disse...

O amor é pura bioquimica altamente contagiante e não, electricidade que se pode ligar ou desligar quando bem se entender.
O amor não se escreve, sente-se!
O amor não se diz ao ouvido ou num blog, demonstra-se!

Ricardo S disse...

Acho que nunca ninguém conseguiu descrever corectamente o Amor, apesar de inúmeras tentativas...
Porque o Amor varia de pessoa para pessoa. Porque o sentimento adequa-se à personalidade e ao Ser de cada um de nós.

Também já tentei descrever o Amor e falar sobre ele, mas em vão. O insucesso é garantido.
Resta-nos senti-lo, à nossa maneira.

Beijos.